Vampiros da alma nacional

22 de setembro de 2016 Off Por Senhor X

Fernando Rosa
Os golpistas a serviço do Império norte-americano foram a fundo em sua política de dominação do Brasil e escravização cultural dos brasileiros. Hoje, por meio de uma medida provisória, decidiram retroceder a educação no país aos primeiros anos do século passado. Sem discussão com a sociedade, querem impor o fim dos ensinos de artes, educação física, filosofia e sociologia.
Uma medida absurda que ignora toda nossa história de formação artística, por exemplo, iniciada por D. João VI, em 1816, quando trouxe a Missão Francesa para formar uma Escola de Arte. E que também tripudia sobre a Semana de Arte Moderna, quando a Arte-Educação teve um grande impulso, com as idéias de livre expressão, de Mário de Andrade e Anita Malfatti.
Em sua insanidade, os golpistas também renegam até mesmo a política educacional do período militar, quando o ensino de arte foi incluído no currículo escolar, em 1971. A partir de 1996, com a LDB, o ensino de artes passa a ser considerado disciplina obrigatória. Atualmente o ensino de artes está voltado para as linguagens de música, dança, teatro (artes cênicas) e artes plásticas.
Também acabar com o ensino de educação física, logo após uma espetacular Olimpíadas, é levar ao extremo da provocação e da irresponsabilidade social a politica educacional do país. Todo mundo sabe que o Brasil é um exemplo para o mundo por suas práticas esportivas, como demonstram as Olimpíadas. Se acabam com a educação física no ensino médio, imaginem o que farão com as demais politicas esportivas.
Em relação aos ensinos de filosofia e de sociologia, o que deve orientar a decisão deve ser o sentimento “humanista” da PM de Geraldo Alckmin. Ou, então, ouviram as ilustradas “vozes das ruas” que exigiam o fim do método educacional de Paulo Freire, mundialmente reconhecido. Não duvidem se Alexandre Frota acabar nomeado para algum cargo.
É impossível que um pais com a história musical, artística, cultural como o Brasil vá aceitar essa “vendeta” contra artistas, intelectuais e esportistas que se rebelaram contra o golpe. Pixinguinha, Villa-Lobos, Tom Jobim, Luiz Gonzaga, Érico Veríssimo, Jorge Amado, Tarsila do Amaral, Portinari, Oscar Niemeyer, Guga e tantos outros não merecem isso.
Não basta arrebentar a nossa indústria, minar a Defesa Nacional e destruir a máquina do Estado, incluindo as FFAA, com a PEC 241. É preciso destruir a nossa formação cultural, a nossa fonte primária de autoestima nacional. Por mais que insistam, o Brasil jamais será um colônia americana e seu povo nunca voltará a ser escravo.
PS – Isso vai virar piada, mas o governo aparentemente recuou da medida, depois de apanhar nas redes sociais. Estão brincando com a Nação brasileira e seu povo.
– http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=39581

villa_lobos_141109_5

Heitor Villa-Lobos entre um grupo de crianças e jovens na inauguração do Conservatório Musical Villa-Lobos, em 1957.